Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Consistência

por João Sousa, em 14.04.19

Esdrúxula é uma palavra esdrúxula. Grave é uma palavra grave. Aguda é uma pal... enfim, duas em três já não é mau.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 10:10


7 comentários

Sem imagem de perfil

De Janita a 14.04.2019 às 14:43

Parecendo isto uma brincadeira, muito provavelmente com um certo objectivo que, assim à primeira, não vislumbrei, talvez pela minha pouca consistência da Língua portuguesa, bem como da fraca memória de aprendizagens passadas, não deixa de ter uma grande importância. Olhe, tanta que fui procurar, através destes sábios caminhos cibernéticos.

Só por curiosidade e para comprovar que até no melhor pano cai a nódoa, trago-lhe isto.

" Definição de sílaba tónica:
Em todas as palavras há uma sílaba que se pronuncia com mais força ou intensidade, chama-se sílaba tónica. Ás sílabas que se pronunciam com menos força chamamos sílabas atónas.

A sílaba tónica de uma palavra pode ser a última, a penúltima ou antepnúltima.

Conforme a posição da sílaba tónica, as palavras podem ser classificadas em:
agudas - quando a sílaba tónica é a última, como em "carrossel"; "estudar"; "mãe", "herói" ;"cor"; "boné".
graves - quando a sílaba tónica é a penúltima, como em "gato"; "escola"; "foca"; "olho"; "lua";
esdrúxulas - quando a sílaba tónica é antepenúltima, como em "árvore"; "secretária".

Resumindo: "As palavras acentuadas na última sílaba são agudas, na penúltima são graves e na antepenúltima são esdrúxulas."


A autora diz : " Sou licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos".

Diga-me, notou algum erro nesta escrita? Pois eu notei e, após a sua resposta, dir-lhe-ei.

:)


Imagem de perfil

De João Sousa a 14.04.2019 às 17:19

Eu encontrei três erros ortográficos: "atónas", "antepnúltima" e "Ás". As duas últimas admito serem erros de digitação (um "Shift" ou um "E" em que não se carregou correctamente, até porque há uma "antepenúltima" depois). Já "atónas" é um bocado difícil de explicar. Nem percebo como é que as duas primeiras passaram pelos correctores ortográficos que são hoje omnipresentes (e são também a primeira coisa que eu desligo nos meus equipamentos). O que não deviam ter passado foi pelo crivo da própria autora.

Contudo, tenho também que ser honesto e dizer que é mais fácil um erro de digitação passar-me em claro num ecrã do que no papel - e outras pessoas que conheço afirmam o mesmo.
Sem imagem de perfil

De Janita a 14.04.2019 às 17:40

Desculpe tê-lo feito analisar este texto 'à lupa'. Aliás, foi tão atento, que não lhe passou desapercebido esses tais dois primeiros que eu não reparei. Sendo o segundo, notoriamente um erro de digitação, sim.

Aquilo a que me referia foi à falha no acento que deveria ser grave e a a autora, "licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos", colocou erradamente agudo.

Pensando, agora, bem, quem esteve mais errada fui eu, porque, de uma forma impensada e infantil, o levei a perder tempo com a análise de uma coisa sem importância.
Louvo-lhe a paciência que tem tido em me aturar.

Obrigada e bom resto de Domingo.
Imagem de perfil

De João Sousa a 14.04.2019 às 19:03

Eu sou muito sensível aos erros ortográficos: são padrões que estão errados e reconheço-os de uma forma quase inconsciente. Na empresa em que trabalhei como técnico antes de me tornar freelancer, nenhuma proposta saía para um cliente antes de eu a verificar. Revisor de texto era, mesmo que oficiosamente, a minha segunda função lá.

Obrigado e bom resto de fim-de-semana.
Imagem de perfil

De HD a 22.04.2019 às 20:29

Um revisor cruel, portanto... ;-p
Imagem de perfil

De João Sousa a 22.04.2019 às 20:48

Cruel, eu? Nem por isso. Eu não varejava (talvez devesse...) quem escrevia "entrega-se" em vez de "entregasse" ou "entregávam" no lugar de "entregavam". Mas tinha que ser rigoroso na marcação das incorrecções - afinal, documentos com erros ortográficos tornam-se uma mancha na imagem institucional da empresa. Não é que aquele pequeno estaminé já tivesse uma imagem institucional a defender... mas para quê estragar o que ainda nem existia?
Imagem de perfil

De HD a 22.04.2019 às 21:04

Exato: cruel no sentido de rigor ;-)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D




Pesquisar

Pesquisar no Blog